quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

A saga de duas cunhadas : O livro de direito das cunhadas - parte I

Hoje, dia em que completo 21 anos, fundo o livro de diretos das cunhadas.
Sim, cunhadas mesmo.
Mas nao aquelas pessoas chatinhas que entram na sua familia sem pedir licença, sem mais nem menos...
não essas falsas cunhadas, que usam esse título sagrado indevidamente.
Falo das verdadeiras cunhadas, aquelas legítimas por sangue, linhagem e descendênicia. Aquelas que são nossas irmãs mais velhas, nossas companheiras, nossas
orientadoras de moda, de vida, de garotos...essas será minha saga, minha sina: escrever (enqnto viver) para contar a história sobre eu e minha cunhada.

Vamos ao princípio então...
em meados da fundação do mundo, em meio a répteis gigantes e afins, estavamos eu e minha cunhada, perdidas na selva pré histórica....
eu, nove anos, franjinha (o que na época não era nada moda..) gordinha, na terceira série do ensino fundamental (isso já explica muita coisa mesmo..); ela, a peça chave
dessa história, a mater, father, brother, sister, thuck de tudo!! de calça jeans preta com lycra (pesando 47 kl - imaginem como era..) blusa tipo camisinha de botão
florida a lá feira do cigano com um sapato não identificável para mim naquela época.

Nos encontramos nos seguintes moldes....ela estava sentada em um sofá da sala de visitas em minha casa. Eu, sentada no sofá da sala de TV. Apenas uma parede
separava a vida que estava para vir. A amizade tremendamente fundamental que todos devemos ter era separada por uma parede. Um parede mizerável.
Tijolos, era só.
O passo inicial foi meu, entrando na sala e iniciando aquilo que seria a primeira de nossas conversas:

- oi!
- oi*!
- Qual é o seu nome?
- Jeane.....e o seu?
- o meu é Nayara....
- em que série vc estuda??? (óbvio que essa pergunta foi minha; afinal estava na 3ª série e a escola era o meu mundo paralelo..)
- no 2º colegial........
- como chamam suas professoras ??
- .....................

...
e assim foi...
o princípio nasceu disso.
Esse fato já nos rendeu várias risadas. Boas risadas mesmo.
Rimos tanto que até choramos.
Mas já dá pra imaginar...esse foi apenas o começo.

3 comentários:

nayarac disse...

esperando comentários...

Jeane L. Ribeiro - A cunhada em questão disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jeane L. Ribeiro - A cunhada em questão! disse...

Na tentativa de conseguir fazer um comentário, sobre um assunto que me diz respeito vou tentar outra
vez, mas dessa vez copiei o que ia dizer e guardei, fiquei esperta, depois que escrevi prativamente um
livro e a cunhada não recebeu o comentário!!!!

Então Crtl c + Crtl v:

Cunhada, eu concordo com tudo que vc escreveu aí, massssssss, só queria esclarecer uma questão:
Aquela camisinha florida que eu usava naquele dia foi comprava na Bii, emprestada da irmã, portanto
aquela blusa era a coisa mais fashion da época, várias pessoas tinham iguais, pois a blusa era
fabricada... tipo... 10 iguais,
com tamanhos diferentes! Pronto era só para esclarecer que eu AINDA não fazia compras no Cigano,
ok?

Beijos!! Amei.!!

E me lembrei de uma causo, de um casamento que você foi.... mas conto depois!! kkk


Beijos